Iniciação Científica (FAP)

A iniciação científica visa fundamentalmente incentivar a carreira científica dos estudantes de graduação que apresentam bom desempenho acadêmico, preparando-os para a pós-graduação. Para tanto, esses estudantes participam ativamente de projetos de pesquisa com reconhecida qualidade acadêmica, mérito científico e orientação adequada, de forma individual e continuada.

Com base nos princípios básicos estabelecidos pelo CNPq, os principais objetivos da iniciação científica são:

  1. Despertar vocação científica e incentivar novos talentos potenciais entre estudantes de graduação.
  2. Propiciar à Instituição um instrumento de formulação de política de iniciação à pesquisa para estudantes de graduação.
  3. Estimular uma maior articulação entre a graduação e a pós-graduação.
  4. Contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa.
  5. Contribuir de forma decisiva para reduzir o tempo médio de permanência dos estudantes na pós-graduação.
  6. Estimular pesquisadores produtivos a envolverem estudantes de graduação nas atividades científica, tecnológica, artística e cultural.
  7. Proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa.

O (a) Professor (a) contemplado pelo Edital FAP que desejar utilizar parte ou todo o recurso a ser financiado em bolsa(s) de iniciação científica deve atender aos seguintes compromissos:

  1. Orientar o estudante nas distintas fases do trabalho científico, incluindo a elaboração dos relatórios parcial e final e material para publicação dos Anais de Resumos e outras publicações, caso houver, em congressos ou outros eventos onde o trabalho for apresentado.
  2. Incluir os nomes dos orientandos nas publicações e nos trabalhos apresentados em eventos, cujos resultados tiverem a efetiva participação dos mesmos.
  3. Escolher e indicar como orientando estudante com perfil e desempenho acadêmico compatíveis com as atividades propostas.
  4. Orientar o estudante quanto ao preenchimento do Currículo Lattes, verificando a atualização dos dados.

É vedado ao orientador (a) repassar a outro a orientação sob sua responsabilidade. Em casos de impedimento eventual do orientador, procederemos com o cancelamento da bolsa.

O (a) estudante que se interessar torna-se bolsista deve atender aos seguintes critérios:

  1. Ser estudante regularmente matriculado em curso de graduação da UFES.
  2. Ter seu curriculum vitae na Plataforma Lattes, devidamente atualizado.
  3. Manter vínculo discente regular com a instituição durante o período de vigência de sua pesquisa.
  4. O (a) estudante que tiver pendências perante o Programa Institucional de Iniciação Científica da UFES (PIBIC/PIVIC) fica impossibilitado (a) de ter sua bolsa financiada.
  5. Não possuir qualquer vínculo empregatício durante a vigência da bolsa e dedicar-se integralmente às atividades acadêmicas e de pesquisa.
  6. Estar recebendo apenas esta modalidade de bolsa, sendo vedada a acumulação desta com qualquer outra bolsa de qualquer fonte financiadora.

Da concessão de Bolsa de Iniciação Científica utilizando recurso do FAP

O(a) professor(a) contemplado pelo Edital FAP 2015 poderá utilizar o recurso do Fundo de Apoio à Pesquisa por meio de duas modalidades de oferta iniciação científica, a saber:

  1. O recurso do FAP pode ser direcionado ao pagamento de bolsas a subprojeto(s) que foram submetidos ao Programa Institucional de Iniciação Científica (PIIC), porém não foram contemplados com bolsa. Somente poderão ser contemplados os subprojetos que obtiveram conceito elegível, voluntário ou cuja nota A do (a) orientador(a) esteja abaixo do ponto de corte, sendo esta modalidade apenas uma forma de repasse orçamentário.
  2. Outra forma de se utilizar o recurso do FAP para concessão de bolsas de iniciação científica é a modalidade balcão.

Os procedimentos para implementação de bolsas em cada modalidade estão descritos nas seções a seguir.

Da concessão de Bolsa de Iniciação Científica utilizando a modalidade PIIC

O orientador (a) que teve seu projeto e subprojetos aprovados no Programa Institucional de Iniciação Científica e cujo(a) bolsista indicado consta como elegível, voluntário(a) ou nota A abaixo do ponto do corte deve encaminhar protocolado ao Departamento de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação solicitando que o uso do recurso para este fim.

Em sendo aprovado, é necessário que o (a) orientador(a) providencie o preenchimento dos dados bancários do(a) bolsista indicado(a), bem como assinatura do Termo de Compromisso, ambas ações serão executadas por meio do sistema SAPPG.

É importante ressaltar que se o (a) orientador(a) decidir optar por esta modalidade, o estudante beneficiado estará sujeito as regras do respectivo Edital PIIC. Sendo esta modalidade apenas uma forma de repasse orçamentário.

É importante enfatizar que a vigência de cada Edital do PIIC é de 01 de agosto a 31 de julho do ano subsequente. Desta forma, estudantes indicados após o início da vigência do Edital do PIIC (agosto) terão bolsas com duração inferior a 12 meses.

Da concessão de Bolsa de Iniciação Científica utilizando a modalidade balcão

O orientador (a) deve encaminhar protocolado ao Departamento de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação sua proposta, incluindo Projeto e Subprojeto(s) de Pesquisa, Formulário de Registro do Bolsista e Termo de Concessão de Bolsa.

Analogamente aos projetos do PIIC, os subprojetos de pesquisa vinculados a projetos de pesquisa envolvendo seres humanos ou animais, deverão apresentar comprovante de submissão à Plataforma Brasil (aplicacao.saude.gov.br/plataformabrasil) ou aos respectivos Comitês de Ética da UFES, nos casos não contemplados pela Plataforma Brasil. O comprovante de aprovação do Comitê de Ética para o desenvolvimento das pesquisas deverá encaminhado ao Departamento de Pesquisa da PRPPG tão logo seja obtido, uma vez que não serão concedidos Certificados para subprojetos cuja aprovação não tenha sido comprovada.

O plano de trabalho do bolsista (subprojeto) deve ser analisado pelo Comitê Institucional de Iniciação Científica (CIIC) para avaliar a adequação das atividades propostas ao objetivo da iniciação científica (cf. CNPq, RN-25/2005, de 04/11/2005). Desta forma, as solicitações deverão ser analisadas por pelo menos um membro do CIIC e poderão ser solicitados pareceres de consultores ad hoc. O parecer para cada solicitação deverá constar no processo e, no caso das solicitações não aprovadas, os motivos devem ser claramente justificados e as propostas encaminhadas ao orientador para adequação.

Os subprojetos de iniciação científica devem obrigatoriamente ter duração de 01 (hum) ano. Após 06 (seis) meses de iniciação científica o bolsista deverá elaborar um Relatório Parcial, e, findado o ciclo de 12 meses, o bolsista deverá elaborar um Relatório Final.

Cada relatório será avaliado de acordo com os seguintes aspectos:

a) Conteúdo Científico;

b) Coerência com o subprojeto aprovado;

c) Apresentação e redação adequadas;

d) Adequação ao modelo indicado.

O resultado da avaliação será expresso de forma qualitativa (Aprovado, Aprovado com restrição ou Reprovado) acrescido de possíveis comentários dos Avaliadores e/ou dos Comitês Avaliadores.

Os relatórios aprovados com restrição ou reprovados serão encaminhados para os respectivos orientadores para serem reformulados pelos bolsistas e reapresentados ao CIIC, em até 15 (quinze) dias correntes a data do parecer do CIIC. 

A não reapresentação do relatório reformulado em conformidade com as orientações do CIIC implicará no cancelamento da bolsa de iniciação científica.

Somente após o ciclo de 12 meses de iniciação científica e aprovação do relatório final do subprojeto apresentado o (a) orientador (a) poderá indicar novo subprojeto para financiamento, respeitando o prazo de dois anos de financiamento de sua pesquisa.

Das eventualidades

O orientador poderá solicitar a exclusão de um bolsista, podendo indicar novo estudante para a vaga, desde que não ultrapasse 02 (duas) substituições por subprojeto por ano, satisfeitas, ainda, as demais regras expostas. As substituições de bolsistas devem ser efetuadas, pelos respectivos orientadores, até o 10º dia de cada mês. Na modalidade PIIC as alterações devem ser efetuadas on line no SAPPG. Já na modalidade Balcão para efetivar a indicação de novo (a) bolsista são necessários os seguintes procedimentos:

  1. Protocolado com o orientador ao Departamento de Pesquisa justificando a substituição;
  2. Formulário de registro do bolsista;
  3. Termo de Concessão de bolsa FAP assinado e carimbado.

No caso de substituição ou cancelamento, o estudante deverá encaminhar um relatório parcial detalhado relativo ao período de vigência da bolsa, sob pena de ficar impossibilitado, durante sua vida acadêmica, de participar de outros Editais de financiamento de pesquisa da Instituição. Não é permitida a interrupção temporária da bolsa.

É importante dizer que estudantes indicados à bolsista após o início das atividades de pesquisa do subprojeto terão bolsas com duração inferior a 12 meses.

Salientamos ainda que não poderá renovar bolsa de iniciação científica o (a) estudante que não apresentar bom desempenho no cumprimento de suas obrigações. O (a) estudante bolsista deverá devolver ao órgão financiador da bolsa, em valores atualizados, a(s) parcela(s) recebida(s) indevidamente no caso de não cumprimento dos requisitos e compromissos estabelecidos acima.

O (a) orientador (a) poderá solicitar a substituição de subprojetos de pesquisa desde que devidamente justificada sua necessidade. A substituição pelo novo subprojeto de pesquisa se efetivará somente após a avaliação e aprovação pelo CIIC.

Os casos omissos neste documento, bem como interpretações discrepantes acerca de sua aplicação, serão resolvidos no âmbito da Câmara de Pesquisa.

Modelos e termos

  1. MODELO DE PROJETO DE PESQUISA (FAP)
  2. MODELO DE SUBPROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (FAP)
  3. FORMULÁRIO DE REGISTRO DO BOLSISTA (FAP)
  4. TERMO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (FAP)
  5. MODELO DE RELATÓRIO PARCIAL (FAP)
  6. MODELO DE RELATÓRIO FINAL (FAP)
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910