Autoavaliação e Planejamento Estratégico

Com a alteração das demandas e métricas de avaliação sobre os Programas da Pós-Graduação (PPG) da UFES as atividades de autoavaliação e planejamento estratégico dos PPGs tornaram-se ainda mais importantes. É importante observar que a UFES já conduz seu programa de autoavaliação e planejamento estratégico de seus PPGs desde 2012 com a introdução do programa de melhoria da Pós-Graduação chamado PROPOS.

O PROPOS tem como objetivo a melhoria gradual do conceito CAPES dos PPGs. A ideia central do programa é a implantação de planejamento estratégico de cada PPG, estabelecendo metas de desempenho que levem em consideração os critérios de cada uma das 49 áreas de avaliação da CAPES e recomendações descritas nas fichas de avaliação da DAV. Para se atingir tais metas os programas devem estabelecer ações estratégicas na área acadêmica, captação de recursos, revisão de currículos e incentivos à produção científica e tecnológica. Importante ressaltar que a captação de recursos nos meios institucionais, como no CT-INFRA/FINEP e CAPES-PROEQUIPAMENTOS, está associada à previsão de ações e metas no PROPOS.

Como resultado das ações estratégicas, houve significativa melhoria de qualidade dos PPGs da instituição. Em 2010, a UFES possuía apenas 13 cursos de doutorado, sendo apenas 3 com conceito CAPES igual a 5 (0,5% dos PPGs com essa nota). Em 2013, a UFES passou a ter 18 cursos de doutorado, sendo 7 com conceito CAPES igual a 5 (1,2% dos PPGs com essa nota). Na última avaliação, em 2017, a UFES já apresentou 27 cursos de doutorado, sendo 13 com conceito CAPES igual a 5 (1,7% dos PPGs com essa nota). Além destes, a UFES possui mais 2 cursos em associação com outras instituições, que possuem conceito 5. Ou seja, o crescimento dos PPGs com nota 5 vem aumentando percentualmente ao longo dos últimos 3 ciclos avaliativos.

Além do crescimento dos Programas nota 5, na Quadrienal 2017, 08 PPGs passaram de conceito 3 para conceito 4. Desta forma, os programas com conceito 4 e 5 já representam a maioria dos programas da instituição (58%), indicando a consolidação da pesquisa e pós-graduação na instituição.

A maioria dos cursos que não melhorou de conceito na Quadrienal 2017, é formada por cursos de implantação recente, ou seja, ainda encontram-se em processo de consolidação. Isso exigirá de ações entre a PRPPG e os PPGs de planejamento conjunto para superação da nota 3.

Em 2018, o processo de autoavaliação dos PPGs foi revisado, incluindo a participação de um consultor externo. Neste contexto, além das atividades de autoavaliação realizadas pela PRPPG e colegiado do programa o procedimento de autoavaliação e planejamento passa a incluir a visita de um consultor externo. O procedimento passa a contar com as seguintes etapas:

  1. Visita do consultor externo, incluindo reuniões com o colegiado, discentes e coordenação do PPG e Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.
  2. Relatório de visita, apontando os pontos críticos do PPG e possíveis ações de curto médio e longo prazo.
  3. Plano de ação do PPG. Com base nas recomendações indicadas no relatório de visita o PPG elabora um plano de ação, contemplando  estratégias para a solução dos problemas e ações de curto, médio e longo prazo
  4. Revisão pelo consultor. O consultor externo revisa o Plano de ação do PPG, validando-o ou propondo alterações/aperfeiçoamentos.
  5. Aprovação PRPPG e PPG. O colegiado do PPG revisa e aprova o plano de ação submetendo-o à PRPPG.

Estas atividades são consideradas obrigatórias para todos os PPGs da instituição. Após sua realização a PRPPG pergunta se PPG irá aderir voluntariamente à segunda etapa de acompanhamento, que inclui a elaboração de metas e visitas periódicas de acompanhamento do consultor externo para análise de indicadores e cumprimento das metas estabelecidas. Este procedimento está detalhado na dissertação de mestrado intitulada “Proposta de Acompanhamento, Avaliação e Melhoria Dos Programas de Pós-Graduação de uma Universidade Federal”, disponível aqui.

Em 2019, a CAPES divulgou novas normas de avaliação e diretrizes para a autoavaliação dos PPGs (disponíveis aqui). As novas fichas de avaliação estabelecem requisitos específicos para os planejamentos estratégicos dos PPGs. Desta forma, em 2019, a UFES inicia uma nova revisão de seus procedimentos de autoavaliação e planejamento estratégico, incorporando as diretrizes da CAPES e adaptando os procedimentos do PROPOS as novas normas de avaliação. As duas principais mudanças nos procedimentos da UFES para a autoavaliação de seus PPGs contemplam a incorporação da avaliação de egressos e “perguntas norteadoras” explicitadas pela CAPES em seu documento com diretrizes para autoavaliação.

Ao mesmo tempo, as atividades de planejamento estratégico dos PPGs passam a incorporar de forma mais explicita a ligação entre o Plano de Desenvolvimento Institucional da UFES, Planejamento Estratégico da Pós-Graduação da UFES e Planejamento Estratégico da Pós-Graduação de cada PPG.  Enquanto o Plano de Desenvolvimento Institucional e o Planejamento Estratégico da Pós-Graduação discutem questões fundamentais da instituição, desde sua forma organizacional, prioridade de investimentos, processos de trabalho e formação até o orçamento. O Planejamento Estratégico do PPG é mais conciso e objetivo. Concentrando-se diretamente nas ações necessárias para a melhoria do PPG, porém incorporando o planejamento necessário para o futuro e contemplando as vocações do programa e fortemente baseado em sua autoavaliação.

Um roteiro para as atividades de Autoavaliação e Planejamento Estratégico dos PPGs da UFES e outros materiais de apoio podem ser acessados nos links abaixo:

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910